SUB-17 É LEMBRANÇA DO 7X1

Acabamos de ver o Brasil perder para a Inglaterra um jogo que poderíamos vencer pelo talento.
A seleção dos garotos mostrou desde o início da competição, que nos falta potência. Potência é força com velocidade. Vejamos: não ganhamos uma única bola dividida, não ganhamos uma subida para a cabeçada, não ganhamos uma corrida e os nossos chutes e alturas são de crianças de treze anos. Uma tragédia para os nossos rapazes. Os departamentos atléticos nos mostram, pelas televisões, as academias bem montadas, com as melhores máquinas disponíveis no mundo do futebol. Vemos as salas do Flamengo, do São Paulo, do Palmeiras, do Atlético Paranaense e dos clubes mineiros. Há uma disputa muito acirrada entre as academias dos clubes. O que parece não haver dentro dessas academias é o profissional certo para o garoto que quer crescer no futebol. É muito comum vermos atletas e procuradores exigindo  salários de Pelé com esforços de Zé Buchudo.
Um escândalo o jogo do Brasil contra a Inglaterra. Os garotos fizeram o gol na hora que quiseram e começaram as macaquices com os devidos saltos altos já calçados. Dancinhas, coreografia nova, toques de efeito e trivelas. Os ingleses foram para cima dos dançarinos e a coisa ficou muito feia. Perdíamos todos os chutes e nossos jogadores desequilibravam a cada um novo chute em movimento. Uma gritante falta de condicionamento físico e atético.
A terrível derrota por 7×1 para a Alemanha ainda não mostrou nenhuma mudança para a melhora do nosso futebol. Os garotos saem do Brasil cada vez mais cedo e os nossos craques, no banco das principais equipes, não vão para a seleção porque estão envolvidos em mentirosas transações milionárias.
O presidente da nossa gloriosa C.B.F., Marco Polo, o inviajável, ainda não pode sair do Brasil por haver reproduzido aquelas velhas técnicas dos nossos dirigentes do futebol. Se atravessar a rua de Tabatinga para Letícia, o FBI, a Interpol e até o Exército da Salvação o prende por ser mais um delinquente do esporte brasileiro.
Uma lástima!
Os nossos dirigentes prejudicando as gerações de garotos que, por falta de outras maneiras de se inserir socialmente, procuram os esportes para que se aproveite todo o talento doado pela vontade suprema de Deus. Belzebu, Capiroto ou Coisa Ruim se estabelecem no COB e no futebol para atrapalhar em tudo que podem. Imaginem o quanto o Dr. Nuzman atrapalhou a vida de milhares com a sua desmesurada ganância pelo ouro dos bandeirantes e esquecendo o vermeil dos atletas, que foi da pior qualidade já vista pelas nações olímpicas. Atletas, às dezenas, devolvem as suas medalhas para a possível troca pelo COB, por causa da qualidade inferior a tudo que diz respeito a uma olimpíada. O próximo grande evento do Brasil, após policiada concorrência, deverá ser entregue aos Medinas, ou a empresas que se mostrem melhores que os inventores do Rock’n Rio, sem quaisquer problemas para eles e para o Brasil.
Lastimável!
Aplaudamos a nossa seleção principal que é cuidada por ingleses, franceses, espanhóis, alemães e ingleses que entregam ao Tite, todos os atletas, com a melhor performance que ele espera.
Assim é que vivemos. Sempre dependendo dos Caras- Pálidas.
E os milhões se acumulam nos bolsos e apartamentos dos gênios que no fim só ganham de uma fonte: do Governo.

Roberto Caminha Filho, nacionalino, torce pelo FBI Futebol Clube.

Deixe um comentário