Olá amigos!

 

Ainda estamos no mês de setembro. Aberrações no Campeonato Brasileiro ainda em alta; dois jogos do Feminino de Futebol registram 16 gols; novo técnico do São Raimundo promete revolucionar o futebol colinense relembrando os anos dourados do Rei do Norte e outras novidades.

Então vamos começar tratando de um assunto que pode mudar o rumo do futebol do Amazonas:

Nunca me passou pela ideia ser dirigente de futebol, muito menos presidente da Federação Amazonense de Futebol (FAF), ou até integrante de uma diretoria da Entidade. Mas, inesperadamente, surge a sondagem, da parte do meu amigo, conhecido, competente e arrojado Joaquim Alencar, desportista que tem uma história no futebol caboclo, como diria o Amazonino Mendes, desde a histórica vinda do Cosmos de Nova Iorque a Manaus para um histórico jogo no SAUDOSO VIVALDÃO.

Numa ligação telefônica, após várias mensagens, Joaquim me faz um desafio: candidatar-me à presidência da FAF, apresentando a justificativa de que, pela minha convivência no saudoso e lendário futebol amazonense nos anos 70, sob a legenda de Flaviano Limongi, de quem fui amigo incondicional e seguidor.

Uma época indescritível. Alguém tem dúvidas? Nacional, Rio Negro, Fast Clube, São Raimundo, Olímpico, Rodoviária, Sul América e América se destacavam pela marcante presença de seus dirigentes apoiados por Limongi. Vivadão lotado, em tardes e noites de Campeonatos Brasileiros da série A. Vitórias memoráveis com torcedor vibrando nas arquibancadas aplaudindo seus ídolos à época (em outra oportunidade falarei deles), sem falar no nosso futebol doméstico.

Pois bem, logo de saída disse a Alencar: ” Aonde você foi buscar essa ideia?” Ele só disse: “vai amigo, você é o homem certo pra mexer com isso.” Eu então respondi: “vou pensar Joaquim, pra entrar num negócio desse tem que mudar quase tudo, e ele me respondeu: se você não for eu vou e você vai comigo!”

E agora, o que eu faço? O que meus amigos acham dessa ideia? Desde aquele momento estou me dedicando ao assunto. Mas, sinceramente, pessoa talhada para o cargo é ele, o Joaquim Alencar. Conheço-o há bastante tempo e competência, postura, conhecimento e acesso à quase falida CBF ele tem. Voltaremos ao assunto.

Futebol feminino com chuva de gols:

Foram 14 gols só em dois jogos do Campeonato de Futebol Feminino do Amazonas, com uma soberba atuação do Penaral de Itacoatiara que “sapecou” 14×0 no São Raimundo.

Já o poderoso Iranduba foi desbancado pelo 3B por 1 a 0, num jogão. Quem não foi ver perdeu.

São Raimundo volta as manchetes:

Sidney Bento, este é o nome de quem quer devolver o São Raimundo à elite do futebol do Norte, dando-lhe a performance dos anos 1997 a 2003, época em que era meia esquerda de uma equipe vencedora, e que conquistou dois tricampeonatos do Norte; vice da série C e acesso à série B.

Assim que queremos ver de volta o Tufão da Colina.

E as besteiras do Brasileirão:

E o pênalti marcado contra o Grêmio a favor do Bahia? Um absurdo, como diria o nosso saudoso Orlando Rebelo. Uma jogada simples aonde o jogador do Bahia provocou, caiu, levou a mão na bola e o árbitro foi na conversa. Será que o Del Nero viu?

Outra coisa, pra que servem mesmo os tais juízes de fundo, ou “vigias” como diz o Arnaldo Cesar Coelho? Uns babacas, medrosos, assistentes privilegiados dos jogos só fazem pose para as televisões.

Plagiando o Gerson, aliás o que não gosto de fazer,: “Brincadeira”.

Por hoje é só. Volto na segunda com novidades.

Deixe um comentário