Ministro Barroso honra a toga

“O ministro Luís Roberto Barroso foi obrigado a lembrar o óbvio: é preciso apurar os fatos para absolver os inocentes e condenar os culpados. “O que não pode é condenar ou absolver sem investigar”, afirmou.

Barroso observou que a denúncia não se limita à delação da JBS, que o governo tenta anular. Ele citou um “vasto conjunto de provas” que inclui depoimentos, recibos, mensagens de celular e planilhas que registram repasses de propina a políticos” (da coluna de Bernardo Mello Franco, hoje, na Folha).

Deixe um comentário