Gilmar Mendes é uma vergonha, dá nojo

Gilmar Mendes exigiu explicações da Procuradoria Geral da República – PGR – sobre as suspeitas de que o ex-procurador Marcelo Miller agiu, ainda no cargo, para orientar os delatores da JBS. A cobrança ocorreu quando o subprocurador-geral da República Nicolao Dino defendia a rejeição do pedido de suspensão de novas denúncias feitas por Temer:
 
— O procurador-geral da República foi ludibriado, foi enganado. Houve omissão de informações em relação à formulação do acordo de colaboração premiada — disse Dino. Gilmar então o interrompeu: — Ele foi enganado também pelo procurador Miller?
 
— Eu vou abordar esse tema na sequência — respondeu Dino.
 
— Isso é extremamente importante para a discussão, para o tribunal — rebateu Gilmar.
 
Dino afirmou que todas as providências estão sendo tomadas pela PGR para esclarecer os fatos suspeitos. O subprocurador citou as medidas de busca e apreensão contra Miller e executivos da JBS, além das prisões de Joesley e do executivo Ricardo Saud, para corroborar o empenho do órgão no caso e defendeu que isso não deve macular a prova:
 
— Estão sendo e serão extraídas consequências jurídicas sérias. Passará inclusive pelo crivo do STF. E esse é um fato. Agora esse fato invalida a prova decorrente?
 
Ele sim, Gilmar Mendes, é que é suspeito de atuar em qualquer ação ou procedimento que envolva Rodrigo Janot, de quem se revela inimigo capital.
 
De mais a mais, para coroar suas esquisitas posições, faz atualmente a defesa escancarada de Michel Temer, sem a menor cerimônia e sem o menor respeito pelo cargo que exerce no Supremo Tribunal Federal. Uma vergonha, dá nojo.

Deixe um comentário