Gilmar Mendes diz estar convicto de que foi gravado por Joesley – Mônica Bergamo – Carta de seguro?

“Os executivos da J&F nunca desmentiram, de forma cabal, que gravaram o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), no período em que negociavam delação premiada com o Ministério Público Federal.

AVESSO
Questionados por mais de um interlocutor nos últimos meses, os delatores da empresa sempre deixaram a questão no ar. Não desmentiam e no máximo afirmavam que isso não teria maior importância já que no diálogo não haveria crime. Nenhuma fita com o magistrado tinha vindo a público até o começo da noite de segunda (11).

AGORA EU SEI
Mendes está seguro de que foi gravado pelo empresário Joesley Batista. “Eu hoje estou convicto disso”, diz. Ele se encontrou com Francisco de Assis, advogado da J&F, em abril, a pedido do profissional, e sem saber que eles já negociavam acordo de delação. No meio da conversa, Joesley apareceu, de surpresa. Na época, o magistrado não deu importância ao fato.

COLEIRA
“O grave é que eles estavam sendo pilotados pela PGR [Procuradoria-Geral da República], mais especificamente pelo [ex-procurador] Marcelo Miller, que não era o braço direito e sim o cérebro do [procurador-geral] Rodrigo Janot”, diz Mendes. “Os próprios delatores dizem em suas conversas que tinham a tarefa de destruir o STF. Eles não investigavam mas sim tinham um projeto de poder.”

CÍRCULO
Nos meios jurídicos circulam informações de que também profissionais do IDP (Instituto de Direito Público), do qual Mendes é sócio, podem ter sido grampeados.

IRREAL
O ex-procurador Marcelo Miller nega ter orientado a J&F na negociação de delação premiada com O Ministério Público Federal e diz que jamais cometeu qualquer crime. Janot, que pediu a prisão do ex-auxiliar, diz que nunca soube que ele estava orientando a empresa antes de deixar o cargo” (Mônica Bergamo – hoje, Folha de São Paulo).

Deixe um comentário