Caiu da rede da Lava-Jato é peixe

Ninguém cai na rede da Lava-Jato à toa. Caiu na rede é peixe, uma vez que não existem inocentes nessa história toda. Basta ler relação de corruptos e implicados na Operação de Curitiba.

O povo brasileiro terá oportunidade de passar um pouco o Brasil a limpo, no próximo ano, com as eleições gerais de 2018. Elegeremos de deputados estaduais a presidente da República, passando por 2/3 do Senado Federal, que representa a Federação brasileira.

É como a velha história da mulher de César. Ao homem público, que representa a sociedade, não basta ser honesto, precisa parecer honesto.

Temos pela frente o ano da renovação, longe da mesmice, distante da eleição de figuras carimbadas, que durante anos e décadas se arrastam numa procissão de incompetentes e de malversadores de recursos públicos, corruptos de toda espécie e gênero.

Portanto, senhores detentores da soberania popular – o povo, pintou na relação da Lava-Jato, que tenha o mais veemente repúdio da massa de eleitores. A população precisa passar uma mensagem clara e indiscutível de que não tolera mais ser assaltada por essa trupe de corruptos que agride os cofres do erário, nas três esferas de poder no Brasil.

Atenção, muita atenção: há quem há anos posa de honesto, como expressão da ética, mas que não passa de um ladravaz de última categoria. Assim, todo cuidado é pouco. Basta alguma observação sobre as formas de atuação política e sobre os meios utilizados na conquista de mandatos, em nome próprio e de familiares, em campanhas azeitadas por milhões e milhões de reais, para que se tenha o retrato real de vestais que ludibriam a boa-fé da população inocente.

Todos contra a corrupção, todos pela limpeza geral e pelo saneamento da vida pública brasileira. Acredite, é possível. Continue apostando e acreditando no futuro do Brasil. Um excelente final de semana.

Deixe um comentário