O pescador do Mindu

Raimundo do Brejo, migrante, 22 anos, natural de Brejo Santo, Ceará. Veio para Manaus com armas e bagagens. Na verdade, sem armas nem bagagens, porque nada trouxe, simplesmente porque nada tinha. No surrado matolão, apenas muita esperança, um ânimo danado de viver aqui para sempre. Afinal, lá nas suas bandas, de vez em quando, recolhia […]

Raízes do nosso Batista – crônica para um velho e querido amigo

Faz-se noite de um dia pleno. Ligo o som e nele encontro a voz de Antônio Batista, expressão de muitos encontros mergulhados ao longo tempo. Para quem consegue vê-lo inteiro, como amigo dos mais estimados, Batista, apenas Batista. Nele reconhece-se logo um talento que comove na tradução do que há de expressivo e melhor em […]

O russão

                           Um dia qualquer ele apareceu. Dizia-se russo de Tsarskoye Selo, descendente dos Romanovs, bisneto do último dos tzares, de Nicolau II, assassinado pelos bolcheviques em 1917, com toda a família, crime que chocou o mundo. Ora seu pai fora filho de Tatiana, ora de Olga, conforme a ocasião, fruto do amor clandestino com seu […]

Nas raias da insensatez

                                    Paulo Figueiredo A Santa Casa de Misericórdia de Manaus dá seus últimos suspiros, nos estertores da morte, uma morte que vem sendo anunciada há anos. Logo, deverá deixar de existir de vez, caso nenhuma medida seja adotada para salvar a instituição. Sepulta-se, assim, boa parte da história da medicina no Estado, evidenciada pela atuação […]

Professor Lúcio de Rezende

Há anos tive uma boa conversa com dona Maria Rezende, viúva também já falecida do mestre Lúcio de Rezende, professor dos tempos da cátedra universitária da antiga Faculdade de Direito do Amazonas. Uma senhora que traz de origem a marca da distinção. Falamos de Manaus, de famílias e de gente do passado, que hoje poucos […]

O meu Botafogo – no dia em que o Fogão enfrenta o Colo-Colo

Há um certo sentimento de propriedade entre o torcedor e seu clube. O aficionado do futebol vê seu time como se fosse coisa sua, íntima, que pudesse pegar e levar consigo a qualquer momento. Sob a mesma bandeira abrigam-se amigos e inimigos, vítimas e algozes, somente solidários em tal situação ou circunstância, ao comungarem o […]

O penetra Martinho

Paulo Figueiredo                                     Ele apareceu e veio não se sabe de onde. Um dia passou a ser encontrado nas ruas e praças de Manaus dos anos 60. Alguém o viu entrando com assiduidade no prédio da Receita Federal, que ficava na Marcílio Dias, um edifício antigo, de fachada meio escura, e assim soubemos que trabalhava […]