A Lava-Jato e as eleições no Amazonas

 

Entendo que as eleições no Amazonas serão definidas sob os influxos da Lava-Jato, como fator dos mais relevantes a ser considerado.

No início da campanha, apenas a classe média, já dispondo de informações sobre os políticos amazonenses implicados na Operação de Curitiba, deverá rechaçar qualquer candidatura envolvida nos escândalos, negando-lhe o voto. No entanto, logo a seguir, os fatos chegarão inteiros ao grosso do eleitorado, ainda que o tema não se faça presente no horário eleitoral gratuito, porquanto outros meios serão certamente usados.

A população, em seus mais diversos segmentos, começa a tomar consciência dos profundos males causados pela corrupção no país. Sabe que o dinheiro retirado criminosamente dos cofres públicos implica na drástica diminuição ou na falta de recursos para áreas nevrálgicas, como saúde, educação, transporte público, saneamento básico e segurança. E quem sofre seus efeitos mais diretos e cruéis é quem está nos estamentos mais carentes da sociedade, que se ressente de assistência elementar a ser prestada pelo Estado.

No Amazonas, o quadro é dramático, na capital destroçada pela incúria e no abandono do interior, nos hospitais e prontos-socorros, nas escolas, no caos urbano, nas avenidas e ruas degradadas, na falta de esgoto, nas valas negras e na violência que sufoca e mata nos bairros periféricos e mais vulneráveis da cidade.

E todo esse conjunto de informações virá à tona, com endereço preciso e clareza meridiana, identificando-se quem é quem e quem deve responder por tanto descalabro. A população tomará conhecimento do quanto foi gasto, alguns bilhões de reais, em obras que jamais deveriam ter sido construídas e que serviram tão somente para engordar contas bancárias de agentes públicos e políticos corruptos, como fruto de ações criminosas já detectadas pela Lava-Jato. Saberá que esses projetos, não prioritários e absolutamente dispensáveis, consumiram recursos que muito bem poderiam ser aplicados para atender as mais justas demandas da sociedade, especialmente de suas camadas mais sofridas e desamparadas.

São esses fatos, não tenho a menor dúvida, que nortearão a decisão do eleitorado na hora do voto.

 

Deixe um comentário